Role para cima

Construtoras investem em edifícios para públicos específicos

Cada vez mais surgem empreendimentos voltados para públicos mais específicos, como idosos, executivos e estudantes.

Bruno Innecco, da Innpar, explica que, as pessoas têm desejos e necessidades diferentes, que precisam se identificar com o ambiente onde vivem.

Um produto montado sob medida, com infraestrutura adequada às necessidades daquele público, e no local exato que permita acesso aos serviços complementares demandados. Em linhas gerais, são estas as ideias que norteiam os projetos imobiliários voltados para nichos da população, especialmente de idosos e universitários.

Acessibilidade, saúde e segurança, para a terceira idade, tecnologia e serviços no entorno, para os jovens, são só algumas das demandas atendidas pelos chamados empreendimentos de nicho. Os projetos para idosos ainda são poucos, mas o rápido envelhecimento da população associado a mudanças no comportamento das famílias deve estimular tanto demanda quanto a oferta destes imóveis.

Para o professor da Escola de Economia de São Paulo, da Fundação Getúlio Vargas (FGV- EESP) Alberto Azjental, trabalhar demandas específicas pode ser bem interessante do ponto de vista de negócio. “Quando você atende a uma demanda ampla, como chamamos o público em geral, o produto é comoditizado, mas quando você segmenta com mais detalhe, olhando as necessidades específicas, é possível trabalhar o diferencial do produto e melhorar as margens”, explica Azjental. 

Nos dois casos, de imóveis pensados para idosos ou jovens, o professor lembra que é fator central de sucesso a localização do empreendimento. “Se de um lado idosos precisam de centros de convivência e hospitais próximos, jovens demandam tecnologia e proximidade com escolas, lavanderias ou centros comerciais. Os projetos exigem maior elaboração, não é uma panaceia que resolverá todas as demandas, mas pode ser um bom negócio para todos.”

Em Joinville, a incorporadora e construtora Innpar, já compreendeu isso e seus últimos dois lançamentos foram totalmente voltados para nichos bem específicos. “Muita gente compra um apartamento em um prédio com piscina, academia, salões de festa, salas de jogos e nunca ou raramente se serve desses espaços. Nós entendemos que uma grande parte das pessoas quer a localização, os materiais e acabamentos de qualidade, o design, mas não estão dispostos a pagar mais por espaços comuns que raramente ou nunca irão utilizar.”

O último empreendimento entregue pela empresa, o Les Jardins, oferece a localização, o acabamento e o design encontrados em imóveis mais caros e luxuosos, mas com unidades menores e sem as áreas comuns que encarecem o produto e as taxas de condomínio.

“Nosso público no Les Jardins é de pessoas ativas, que raramente param na cidade durante os fins de semana. São jovens casais sem filhos ou LGBT, estudantes e pessoas aposentadas que passam mais tempo na praia do que em Joinville, mas querem manter uma base na cidade para encontrar seus familiares e amigos. Por isso desenvolvemos um projeto com poucos espaços comuns, com design jovem e com os mesmos materiais e acabamentos encontrados nos empreendimentos mais luxuosos”, completa o diretor da empresa, que agora está lançando mais um empreendimento de nicho, o Die Acht, no bairro América, mas desta vez voltado para um público de alto luxo.

 

 

No Les Jardins, ao invés de muitas áreas comuns, a construtora apostou em apenas uma “sala gourmet” onde os moradores podem receber seus amigos como se estivessem nas salas de suas casas.

Para mais informações visite www.innpar.com.br

Fonte: O Estado de S. Paulo 07 Abril 2017

 

NOTICIAS RELACIONADAS

Caixa tem aumento nos pedidos de crédito
Cenário é de reação no segundo semestre

 

Publicar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *